DIVERSAS DINÂMICAS  DE GRUPO AQUI NESSA PÁGINA: LIVRO PRÁTICAS PEDAGÓGICAS VIVENCIAIS

 

GRAVAR O NOME DO COLEGA

Objetivo: Esta dinâmica propõe um "quebra gelo" entre os participantes. Ela pode ser proposta no primeiro dia em que um grupo se encontra. É ótima para gravação dos nomes de cada um.

Material: Nenhum

Procedimento: Em círculo, sentados ou de pé, os participantes vão um a um ao centro da roda (ou no próprio lugar) falam seu nome, juntamente com um gesto qualquer. Em seguida todos devem dizer o nome da pessoa e repetir o gesto feito por ela. Sendo que todos devem repetir em somatória.

 

DINÂMICA DO GARGALHAR

Os jogadores sentam-se em círculos escolhendo-se uma para começar. Ao sinal de início, o jogador escolhido exclama: “Há!” ao que o seguinte completa: “Há!, Há!”, cabendo ao terceiro falar: “Há!, Há!, Há!” e assim por diante. Antes mesmo de se completar a volta inteira do círculo, o grupo estará com muita vontade de rir, mas não poderá fazê-lo, pois quem ri sai da brincadeira. É uma prova de resistência. Vence quem ficar por último.

 

Dinâmicas diversas  para trabalhar com o Projeto Virtudes  no guia completo que trabalha com virtudes e princípios morais e éticos... no  livro: “Práticas Pedagógicas Vivenciais – dinâmicas para trabalhar, valores, atitudes, afetividade, autoestima, relacionamento, Inteligências Múltiplas/Potencialidades e autoconhecimento”. Vilmabel Soares.  Editora Vozes/RJ. 2º Edição. 2010.

 

Além dessas dinâmicas, temos em nosso blog: http://teatroevida.blogspot.com dinâmicas para Volta As Aulas – Dinâmicas Evangélicas para Catequese – Dinâmicas para Sala de Aula – Dinâmicas para Crianças e Adolescentes – Dinâmicas Motivacionais...

 

DIVERSAS DINÂMICAS DE GRUPO NO LIVRO PRÁTICAS PEDAGÓGICAS VIVENCIAIS


A obra PRÁTICAS PEDAGÓGICAS VIVENCIAIS é dinâmica, prática e facilitadora. Nesta você encontra exercícios práticos de arte-educação e arte-terapia, entre eles: exercícios teatrais (técnicas vocais básicas, dança, música, expressão corporal, dicção, oratória, descontração, desinibição, percepção, imaginação, comunicação e expressão, criatividade, sociabilização, técnicas de relaxamento e meditação, entre outros); dinâmicas de grupo; textos reflexivos e brincadeiras diversas. Esta obra é em especial para trabalhar com o Desenvolvimento da Criança e do pré-adolescente nos seguintes aspectos: físico, emocional, afetivo, social, psíquico e intelectual bem como facilitar o desabrochar de suas habilidades inatas tornando-as em capacidades que viabilizarão sua profissão de acordo com sua vocação.

 

Em breve lançamento do 2o livro da autora, Vilmabel Soares: "Dinâmicas de Grupo e Jogos". Essa obra objetiva trabalhar com o Desenvolvimento Humano (crianças, adultos e 3o idade), através da Pedagogia da Autonomia, de forma prática e vivencial, com 80 exercícios práticos. (em breve nas livrarias).

"Vilmabel de Oliveira Soares Gibon, gaúcha, natural de Rio Grande, nascida em 1972, formada em Matemática Licenciatura Plena, pela FURG – Fundação Universidade de Rio Grande. Pós-graduanda em Arteterapia no Instituto da Família em Porto Alegre/RS. Educadora Brinquedista - membro sócia da Associação Brasileira de Brinquedotecas. Estudou Teatro no TEPA. Trabalha como facilitadora de Dinâmicas de Grupos. Promouter de eventos: educacional, artístico, cultural e social.

"Práticas Pedagógicas Vivenciais - Dinâmicas para trabalhar: valores, atitudes, afetividade, autoestima, relacionamento, autoconhecimento e inteligências múltiplas", editado e publicado pela Editora Vozes, Rio de Janeiro/Petrópolis. 2º Edição. 2010.

Onde adquirir?
Brasil:

Livraria Cultura
Livraria Saraiva
Americanas
Livraria João PauloII
Livraria Kapok
Exkola
Tradepar
Livraria Submarino

Portugal:

Livraria Vozes
Sitio do Livro

  

+ 160 Dinâmicas de Grupo e jogos para trabalhar com o Desenvolvimento Humano através da Pedagogia da Autonomia. Exercícios práticos de arte-educação e arte-terapia nos livros de autoria da escritora, Vilmabel Soares. Editora Vozes. Sucesso em vendas!

“Práticas Pedagógicas Vivenciais – exercícios práticos para trabalhar: valores, atitudes, afetividade, autoestima, relacionamento interpessoal, inteligências múltiplas e autoconhecimento” e “Dinâmicas de Grupo e Jogos”.

 

RELATO DE UM PROBLEMA

Objetivo: possibilitar habilidade de empatia entre os integrantes do grupo.

Material: Folha ofício e caneta.

Procedimento: O facilitador distribuirá folha ofício e caneta para cada integrante do grupo.

O facilitador solicitará aos participantes a descrição de um problema pessoal que gostariam muito que fosse resolvido.

Após, o facilitador recolherá os relatos e distribuirá um relato a cada participante tomando o cuidado para que cada um não fique com o seu próprio relato, ou seja, cada participante ficará em mãos com o relato de um colega participante do grupo.

Em seguida, o facilitador possibilitará uma explosão de idéias, ou seja, possíveis soluções dadas pelo grupo a cada problema relatado.

No final, o coordenador faz um feedback de todos os relatos enfatizando a importância de se colocar no lugar do outro para que cada um possa assimilar as diferenças pessoais, a individualidade possibilitando maior aceitação e empatia ao próximo.

Deve-se deixar claro ao grupo a não identificação do problema ao respectivo participante, a fim de evitar constrangimento entre os membros do grupo.

É importante que esse exercício seja realizado com fundo musical despertando a sensibilização no grupo.

 

DIFERENÇAS

Objetivo: Respeitar as diferenças.

Material: Folhas de papel ofício e caneta.

Procedimento: O coordenador distribuirá papel e canetas para o grupo. Em seguida, o coordenador pede a todos que citem sua raça, religião, costumes, nome dos pais, onde nasceu, e seus prediletos em fruta, comida, bebida, hobby, música, cor, programa de TV, disciplina, etc. Quando todos descreverem suas citações, o coordenador pede que cada um leia para todos suas características.

Reflexão: Pergunta-se a todos se eles ouviram dois ou mais participantes terem todas as suas respostas idênticas?

Portanto, o coordenador ressalta que todos somos diferentes com nossa unicidade, beleza e importância de ser e que ninguém é melhor ou mais importante que o outro, por isso, temos de respeitar nossas diferenças para que possamos conquistar o respeito de todos.

 

 

ENSINAR E APRENDER BRINCANDO?

No livro “Práticas Pedagógicas Vivencias – dinâmicas para trabalhar valores, atitudes, afetividade, autoestima relacionamento. Autora: Vilmabel Soares. Editora Vozes, Petrópolis/RJ. 2010 2º Edição

*** Essas dinâmicas, inclusive exercícios teatrais e brincadeiras diversas poderão ser trabalhadas intercaladas em suas aulas, independente de qual disciplina você trabalha em sala de aula.***

 

IDENTIFICAÇÃO PESSOAL

Objetivos: Ampliar o conhecimento de si e interpessoal. Promover a participação de todos com maior espontaneidade.

Material: brinquedos diversos relacionados a profissões (diferentes ou não).

Procedimentos: Todos em círculo, sentados. O coordenador espalhará brinquedos pela sala e solicitará aos participantes que cada um escolha um brinquedo e sente-se após escolher o brinquedo. Poderá acontecer que dois ou mais alunos façam a mesma escolha do brinquedo, portanto, pede-se que sentem próximos.

Após, todos terem feito suas escolhas, solicita a todos que façam reflexão sobre as seguintes perguntas:

O que esse brinquedo representa?

Por que a escolha desse brinquedo e não outro?

Se tivesse que dar esse brinquedo a um amigo(a) do grupo, quem você escolheria e por quê?

Esse brinquedo lembra alguém (familiar, amigo, artista, professor, vizinho,...)? Por quê?

 

AUTOMOTIVAÇÃO

Objetivo: Despertar o indivíduo para automotivação.

Material: caneta e xerox

Procedimento: O facilitador distribuirá caneta e uma folha ofício para cada um dos integrantes com as seguintes frases abaixo a serem completadas:

- Eu me orgulho de mim quando faço................................

- O que eu mais gosto do meu corpo é...............................

- Eu me sinto feliz quando..................................................

- Me destaco mais em.........................................................

- Eu faço muito bem...........................................................

- Minha capacidade maior é ..............................................

- Eu acredito que eu possa conquistar................................

 

ENTREVISTA

Objetivo: despertar confiança em si, no grupo e respeitar a individualidade.

Material: folha ofício, cartolina e caneta.

Procedimento: O facilitador distribuirá folha ofício e caneta para cada integrante do grupo. Explica a todos que serão instigados a responder uma entrevista.  Cada um terá a função de entrevistador e entrevistado em cada dupla. A entrevista será baseada nas seguintes perguntas que estarão expostas no cartaz:

1) O que mais lhe deixa feliz?

2) O que mais lhe deixa triste?

3) Qual a profissão que você mais admira?

4) Qual a pessoa que você mais admira no grupo e por quê?

5) Qual a dinâmica que mais lhe agradou até o momento?

6) Quem se parece mais com você no grupo?

7) Que recado você deixaria ao grupo quanto à importância da confiança?

Após, todos sentados em círculo, cada um irá ao centro e apresentará o seu colega ao grupo baseado nas respostas que obteve.

O facilitador deverá propiciar um momento de reflexão intervindo quando houver qualquer indício de desvalorização de algum membro do grupo por qualquer outro, evitando que rótulos sejam tomados como crenças verdadeiras.

 

ENSINAR E APRENDER BRINCANDO?

No livro “Práticas Pedagógicas Vivencias – dinâmicas para trabalhar valores, atitudes, afetividade, autoestima relacionamento. Autora: Vilmabel Soares. Editora Vozes, Petrópolis/RJ. 2010

*** Essas dinâmicas, inclusive exercícios teatrais e brincadeiras diversas poderão ser trabalhadas intercaladas em suas aulas, independente de qual disciplina você trabalha em sala de aula.***

 

DESENHAR O SONHO

Objetivo: Despertar no indivíduo a capacidade de expressar seus sentimentos e sonhos.

Material: Folha ofício, lápis, canetinha hidrocor, lápis de cera, borracha e apontador.

Procedimento: Com fundo musical o orientador deve motivar os participantes a fecharem os olhos e pensarem em seus sonhos.

Perguntar:

- O que gostaria de ganhar de presente de um amigo?

- O que gostaria de ganhar de presente dos pais?

- Qual a pessoa que mais admira?

- Que profissão admira?

- O que pretende ser quando crescer?

Após essa reflexão, pede aos participantes que abram os olhos e desenhem o que viu em seus pensamentos, o que veio em sua mente, após essa reflexão.

Em seguida o orientador distribui folhas ofício para todos. Deixa a disposição dos integrantes canetinha, lápis de cor, lápis de cera, caneta, lápis, borracha e apontador.

Nesse trabalho no qual será expressando a inteligência pictórica é aconselhável fundo musical para que todo o grupo fique descontraído de forma confortável para expressar seus sentimentos.

 

REFLEXÃO: “NÃO HÁ SABER MAIOR OU SABER MENOR. EXISTEM SABERES DIFERENTES.” Paulo Freire

“Em um largo rio, de difícil travessia, havia um barqueiro que atravessava as pessoas de um lado para o outro. Em uma das viagens, iam um advogado e uma professora.

 

Como quem gosta de falar muito, o advogado pergunta ao barqueiro: Companheiro, você entende de leis?

Não, respondeu o barqueiro.

E o advogado compadecido: É pena, você perdeu metade da vida.

A professora muito social entra na conversa:

Seu barqueiro, você sabe ler e escrever?

Também não, respondeu o barqueiro.

Que pena! Condói-se a mestra.

-Você perdeu metade de sua vida!

Nisso chega uma onda bastante forte e vira o barco.

 

O barqueiro preocupado, pergunta:

Vocês sabem nadar?

Não! Responderam eles rapidamente.

Então é uma pena - Conclui o barqueiro. Vocês perderam toda a vida.”  (Autor desconhecido)

 

Nota: Refletir sobre a importância de todas as profissões. Enfatizando que nenhuma é mais importante que a outra. E sim que uma complementa a outra com seus saberes diferentes para a sociedade num todo.”

 

ENSINAR E APRENDER BRINCANDO?

No livro “Práticas Pedagógicas Vivencias – dinâmicas para trabalhar valores, atitudes, afetividade, autoestima relacionamento. Autora: Vilmabel Soares. Editora Vozes, Petrópolis/RJ. 2010

*** Essas dinâmicas, inclusive exercícios teatrais e brincadeiras diversas poderão ser trabalhadas intercaladas em suas aulas, independente de qual disciplina você trabalha em sala de aula.***

DINÂMICA “DA HISTORINHA”

Objetivo: Treinar a memorização e atenção.

Procedimento: Todos devem estar posicionados em círculo de forma que todos possam se ver.

O organizador da dinâmica deve ter em mãos um objeto pequeno e direcionando a todos deve começar a história dizendo: Isto é um... (Ex. cavalo). Em seguida deve passar o objeto à pessoa ao seu lado que deverá acrescentar mais uma palavra a história sempre repetindo tudo o que já foi dito. (Ex. Isto é um cavalo de vestido...), e assim sucessivamente até que alguém erre a ordem da história pagando assim uma prenda a escolha do grupo.

Cria-se cada história engraçada... É bem divertido, aproveitem.

 

Contribuição enviada pela usuária: Jussara do Carmo Ferreira Souto Maior - Marketing e Venda

 

DINÂMICA DO VAI E VEM

Objetivo: Interação interpessoal.

 Material: Nenhum.

Desenvolvimento: sentados no chão em círculo, um aluno fica por fora do círculo, em pé dando início a brincadeira. O jogador que está fora do círculo correrá ao redor e tocará nas costas de um colega dizendo: "Vem" ou "Vai"; o colega que receber o toque deverá correr atrás dele se for dito "Vem", ou correr em sentido contrário de costas se for dito "Vai", tentando disputar o seu lugar no circulo com este colega que lhe tocou. Quem ficar em pé continua a brincadeira batendo em outro colega e assim sucessivamente.

 

Dinâmica: "Recital das Almas Gêmeas”

Objetivo: É uma atividade muito divertida, que tem como objetivo a descontração e a aproximação entre os membros do grupo.

Material: papel e caneta

Procedimento: Divide-se a turma em duas equipes. Em papeis serão escritas mensagens que se completam (perguntas e respostas ou parte 1 e parte 2). Cada participante deverá pegar um papel, ou mais conforme a quantidade de papeis e participantes, sem deixar que seus colegas vejam o que está escrito. A mensagem será ex: 1 - 'eu sou um jardim sem flor', 2- ' eu sou a flor do teu jardim'. A segunda parte complementa a primeira. É importante que as mensagem sejam criativas e engraçadas. É preciso demarcar quais são as primeiras partes, para que sejam recitadas primeiramente, sendo completadas pela sua respectiva segunda parte.

 

Contribuição enviada pela usuária: Beatris Feuser - Profa. de Hidro e Natação

 

Dinâmica: "Para quem você tira o chapéu"

Objetivo: Estimular a autoestima

Materiais: um chapéu e um espelho

O espelho deve estar colado no fundo do chapéu.

Procedimento: O animador escolhe uma pessoa do grupo e pergunta se ela tira o chapéu para a pessoa que ver e o porquê, sem dizer o nome da pessoa. Pode ser feito em qualquer tamanho de grupo e o animador deve fingir que trocou a foto do chapéu antes de chamar o próximo participante. Fizemos com um grupo de idosos e alguns chegaram a se emocionar depois de dizer suas qualidades. Espero que gostem!

 

Contribuição enviada pela usuária: Andressa Carneiro - Vitória de Santo Antão PE – dentista

 

 

Dinâmica: “do papel"

Objetivo: Descontração

Materiais: pedaço de papel, caneta

Procedimento: Forma-se um círculo e em seguida será distribuído um pedaço de papel para cada um, e uma caneta. Logo após a pessoa irá escrever qualquer pergunta que ela quiser, ex: Porque hoje fez sol? entendeu?!É qualquer pergunta, o que vier na cabeça. Ai logo após o instrutor irá pegar os papéis de todos os participantes, embaralhar e entregar um para cada (só que você não poderá pegar o seu), ai depois de feito isso a pessoa vai responder o que estiver naquele papel que ela pegou. Depois que todos responderem sem um ver o do outro, você vai dobrar seu papel e vai passar 2 vezes para seu lado direito todos juntos. Ai começa a brincadeira. Uma pessoa começa lendo o que está em seu papel, em seguida a pessoa do lado direito ou esquerdo (depende do monitor escolher), digamos que foi pela direita, ai a pessoa vai ler o que está escrito na RESPOSTA dela, e assim sucessivamente, a mesma que respondeu a resposta vai ler a sua pergunta e o vizinho ao lado responderá a sua resposta é muito legal e divertindo causando muitos risos!!!!

 

Dinâmica: "dança da cadeira cooperativa"

Objetivo: essa dinâmica serve para quebrar o gelo e fazer com que os participantes pensem sobre cooperação entre o grupo.

Materiais: 1 cadeira

Procedimento: consiste na brincadeira da dança da cadeira(mesmo procedimento), só que em ao invés dos que ficarem sem se sentar sairem, terão que se sentar no colo do amigo, de modo que ninguém fique em pé. É muito engraçado! Ao final, com apenas uma cadeira todo o grupo terá que se sentar um no colo do outro.

Contribuição enviada pelo usuário: Luciene de Souza Figueiredo Pereira - diadema SP

E-mail:lucienesfigueiredo@hotmail.com

 

Dinâmica: "da rosa" (infantil)

Objetivo: despertar a atitude em preservar o que temos.

Materiais: uma flor (rosa) natural

Procedimento: fazer um círculo, e cada integrante retira um pedacinho da flor, ao final sobrará apenas o talo da flor. O monitor da dinâmica questiona o que aconteceu? Será que podemos consertar o que fizemos? Essa dinâmica pode ser trabalhada com os pequeninos, a fim de preservar os materias dentro da sala de aula, ou preservar o próprio meio ambiente.

Contribuição enviada pelo usuário: Dulcemar Garcia - E-mail:dulcemarg@bol.com.br - Professora de Educação infantil- psicopedagoga – SP

 

Dinâmica: "Patinho Feio"

Objetivo: Reflexão

Materiais: Tiras de papel colante, caneta

Procedimento: Colar tiras de papel colante ou escrever em fitas para serem colocadas na cabeça de modo que apareçam palavras as quais deverão ser seguidas pelos colegas que a lerem. Exemplo: beije-me, aperte minha mão,abrace-me, deixe-me, pisque para mim, etc etc.....sendo que apenas um elemento, deverá ficar com a palavra 'deixe-me'. sendo que esse será o único que não será procurado, será o patinho feio (deixe-me). No final, essa pessoa deverá contar como se sentiu, sendo discriminado e deixada de lado.

Dinâmica: "Salada de Frutas"

Objetivo: memória e concentração

Procedimento: O grupo senta em círculo e o facilitador diz uma fruta qualquer e aponta para um dos participantes. O participante escolhido deverá dizer a fruta falada pelo facilitador e uma de sua escolha. Aí começa a brincadeira. A pessoa que estiver ao lado direito da escolhida pelo facilitador deverá dizer a fruta do facilitador, da pessoa e a sua.

Exemplo: Facilitador - Maçã; Pessoa 1 - Maçã e Banana; Pessoa 2 - Maçã, Banana e Manga;Pessoa 3 - Maçã, Banana, Manga e Uva e assim sucessivamente até que alguém erre a seqÜência. Para a pessoa que errar pode ser solicitado um 'castigo' ou um 'mico'.

Obs: 1º Em vez de frutas a brincadeira pode ser feita com carros, países, estados, objetos (praia, casa, sala, etc.); 2º Eu faço essa brincadeira com as minhas turmas do grupo de Reciclagem da Língua Portuguesa (in company) e garante ótimos resultados. Como castigo à pessoa que erra, eu faço alguma pergunta sobre o conteúdo já estudado (como revisão), do conteúdo a ser estudado (como hipótese e suposição, para ver o conhecimento da pessoa sobre o assunto) e do conteúdo que está sendo estudado (como reforço). É uma brincadeira simples, mas que garante boas risadas e resultados maravilhosos deixando o ambiente e os participantes super descontraídos.

 

Contribuição enviada pela usuária: Denise Pinheiro Oliveira- E-mail:denisepinheiro@walla.com

 

Dinâmica: "das partes do corpo"

Objetivo: estimular a atenção e interação com os colegas

Procedimento: Numa grande roda a pessoa começa a brincadeira dizendo o nome de uma parte do corpo. passando a vez. A pessoa que estiver ao lado determinado irá colocar a mão na parte do corpo que a primeira pessoa falou, e dizer outra parte do corpo passando a vez. A pessoa ao seu lado, já determinado de modo que a vez corra apenas em um sentido, colocará a mão na parte corporal dita pela segunda pessoa e dirá outra parte e assim sucessivamente.

 

Contribuição enviada pelo usuário: Guilherme dos Anjos Nascimento- E-mail:guilhermenascimento@yahoo.com.br

 

Dinâmica: "Descobrindo as qualidades"

Objetivo: Interação

Materiais: quebra-cabeça, pedaços de papel e caneta

Procedimento: Dois grupos formam um círculo, com os componentes intercalados ( ex. um do amarelo, outro do azul e assim em diante até terminar o círculo). Cada componente deve escrever em um pedaço de papel uma qualidade própria (usando apenas uma palavra) e entregar para o participante do lado direito, sendo este o componente do grupo oposto, que deverá fazer mímica para que o seu grupo descubra a qualidade do participante ao lado (grupo oposto), quando o grupo acerta a qualidade logo o outro componente do mesmo grupo anterior que estava fazendo a mímica começa a fazer também a sua e assim sucessivamente . Enquanto isso o líder do grupo oposto está dentro do círculo montando um quebra cabeça, quando ele terminar o tempo acaba e ganha o grupo que descobriu mais qualidades do grupo oposto.

Contribuição enviada pela usuária: Adriana de Luna Catrinck- RJ - E-mail: catrinck_dri@hotmail.com

 

Dinâmica: "qualidades e defeitos"

Objetivo: falar das qualidades e defeitos.

Materiais: pedaço de papel, caneta

Procedimento: gostaria de sugerir uma dinâmica que fiz com meus alunos para falarmos das qualidades e defeitos. Entrega-se um pedaço de papel para cada participante e pede que desenhe a mão direita e a mão esquerda. Em cada dedo primeiro da mão direita escreve-se uma qualidade e na esquerda um defeito. O coordenador da dinâmica dá cerca de 20 minutos para escreverem. Ao final discute-se de acordo com o que cada um escreveu, finalizando que é mais fácil falar de características dos outros do que de nós mesmos e encerra dizendo que todos possuímos qualidades e defeitos, porém temos que nos respeitarmos e priorizarmos nossas qualidades. Um beijo, Cris

Contribuição enviada pela usuária: Cristiane Alves Brasil SP - educadora - E-mail: cristianeabrasil@hotmail.com

 

Dinâmica: "Conheço meu filho"

Objetivo: para reunião de pais

Materiais: Papel e caneta

Procedimento: Pedir que os alunos escreva em um papel pequeno a seguinte frase: 'eu amo a minha família'. Não pode ser assinado. Todos pedaços de papel deverá ter um número que corresponda o número que a cordenadora da reunião manterá em segredo. No dia da reunião todos os pepeis serão colocados espalhados em uma mesa e os pais deverão reconhecer a letra do filho e pegar um papel. Depois a cordenadora irá verificar se os pais acertaram e conhece a letra de seus filhos.

 

Contribuição enviada pelo usuário: Elson de Souza Medeiros - Pastor/professor - Serra ES

E-mail: medeiros.elson@uol.com.br

51. Dinâmica: "do General"

Objetivo: descontração... causa muitos risos e simpatia entre os participantes

Procedimento: Uma dinâmica para entreter... como uma brincadeira...

Há várias posições nesse jogo, como: lixo, soldado, cabo, sargento, coronel, general etc...

O general começa falando 'Passei a revistar minha tropa e senti falta do...(ele diz o nome de uma das posições)

A pessoa se levanta (a não ser que seja o cargo mais baixo, nesse caso, o General se levanta, e ele continua sentado) e diz 'O ... nunca falta, senhor(o cargo mais baixo não diz senhor ao general)

General - então quem falta?... - Quem falta é o ..., senhor

E assim se procede... até que alguem não se levante, ou levante na hora errada, ou esqueça de dizer 'senhor' ou diga senhor na hora errada

OBS: Se levanta apenas para um cargo mais elevado, e se diz senhor, também apenas para um cargo mais elevado. Nesse caso, a pessoa que errou vai para o cargo mais baixo, e cada pessoa sobe um cargo...Então, começa com o general dizendo 'Passei a revistar minha tropa(...)'

OBS2 - O cargo mais baixo nunca diz senhor ou se levanta para o general, mas para todos os outros participantes, sim...O general nunca se levanta ou diz senhor... apenas para o cargo mais baixo...

OBS3 - se faltarem cargos, pode-se inventar mais alguns, como cocô, ou balde, ou algo assim...

 

Contribuição enviada pelo usuário: Vinícius - Belo Horizonte/MG

 

 

Dinâmica: "da inteligência"

Objetivo: melhorar a percepção

Procedimento: Você pega um grupo e divide em 2 a 2, um olhando pro outro. Peça a eles para que se observem por 2 minutos, depois peça para eles se virarem de costas e mudarem três coisas em si mesmos e depois desvirarem e fazerem com que o parceiro descubra o que foi mudado. O outro também repete e assim sucessivamente repita por 3 vezes esta dinâmica.

 

Contribuição enviada pela usuária: Joyce cristina lippa - Indaiatuba – SP

 

Dinâmica: "da folha de revista"

Objetivo:

Material: folhas de revista, pátio ou sala, todos sentados em círculo

Procedimento: Dar uma folha de revista a cada participante e pede para que amassem bastante a folha, após todos amassarem pede para que desamassem novamente deixando a folha como era antes.

Ninguém irá conseguir, então explica-se que a folha representa as nossas palavras que uma vez ditas não podem mais serem consertadas, por isso devemos ter cuidado ao falar para que não venhamos a machucar o próximo, pois uma vez aberta a ferida será dificíl cicatrizar.

 

Contribuição enviada pela usuária: silvia lemos santos - ferraz de vasconcelos – SP

 

Dinâmica: "do balão"

Objetivo: Reflexão

Material:balões palitos de dentes uma caixa de bombons ou algum outro prêmio

Procedimento: entrega-se um balão para cada participante e em seguida um palito de dentes, pede-se para todos se espalharem e diz o seguinte: _ganha esta caixa de bombons quem conseguir ficar com o balão sem estourar.

Sem que o instrutor mande todos os participantes correm para estourar os balões dos adversários para ganhar a caixa de bombons, mas geralmente não sobra nenhum balão. Depois o instrutor pergunta: em que momento eu mandei vocês estourarem os balões dos colegas ? E fica com a caixa ou distribui.

Obs: se gostarem divulguem!

 

Contribuição enviada pela usuária: JOSEANE GOMES MOREIRA - TAIOBEIRAS MG

 

Dinâmica: "da Pergunta Certa"

Objetivo: Esta dinâmica irá despertar uma atenção maior a concentração e estratégia.

Material: papel e fita crepe

Procedimento: Esta dinâmica para funcionar independe da quantidade de pessoas participantes. Um exemplo, em um grupo o coordenador deverá colar um nome de uma pessoa famosa nas costas dos participantes, sem que eles vejam o que esta escrito, então ganha a dinâmica quem descobrir primeiro o nome que está escrito em suas costas, para ajudá-los eles poderão fazer perguntas entre si como por exemplo 'a pessoa é loira?', mas as respostas so poderão ser sim ou não.

 

Contribuição enviada pela usuária: KELLY CRISTINA DA SILVA - SANTO ANDRE – SP

 

 

 

 

Dinâmica: "Carta a si próprio"

Objetivo: Levantamento de expectativas individuais, compromissos consigo próprio, percepção de si, auto-conhecimento, sensibilização, reflexão, automotivação, absorção teórica.

Material: Envelope, sulfite, caneta.

Procedimento: 20'

Individualmente, cada treinando escreve uma carta a si próprio, como se estivesse escrevendo a seu (sua) melhor amigo (a). Dentre os assuntos, abordar: como se sente no momento, o que espera do evento (curso, seminário, etc.), como espera estar pessoal e profissionalmente daqui a 30 dias. Destinar o envelope a si próprio (nome e endereço completo para remessa). O Facilitador recolhe os envelopes endereçados, cola-os perante o grupo e, após 45 dias aproximadamente, remete ao treinando (via correio ou malote).

 

Contribuição enviada pela usuária: Elienai Costa de Amorim - Manaus – AM

 

Dinâmica: "da Bexiga"

Objetivo: Mostrar que nem sempre os caminhos mais fáceis são os melhores, aliás quase nunca. Se precisarem da ajuda de outro diga, que quando não conseguimos vencer algo sozinhos (vícios, frustações etc.) podemos pedir ajuda a outra pessoa, mais velhas (no caso de adolescentes).

Material: bexigas coloridas; fitilha (fita de presente); mini balas; tirinhas de papel com palavras boas e ruins do tipo sucesso, amor, paz, vida eterna, mentira, drogas.

Chegue antes para preparar a sala.

Coloque uma tirinha de papel com um dizer 'ruim' encha a bexiga e coloque uma fita longa, cole no teto essa bexiga, de forma que fique fácil de pegar, dessa forma vá dificultando as bexigas e 'melhorando' as palavras até a última bexiga, no nosso caso foi Vida Eterna, coloque balas junto com a palavra chave, se ninguem alcançar diga que pode pedir ajuda um ao outro.

Público: pode ser feito com pré-adolescentes, adolescentes, jovens e adultos, mudando as palavras para cada faixa etária. Boa sorte!

 

Contribuição enviada pela usuária: MICHELE KELLY SILVA VIEIRA- Resende - RJ

 

MODELAR

Dois círculos, um interno, outro externo. Os integrantes do círculo interno ficarão com os olhos fechados, os do círculo externo irão "modelar" o corpo dos colegas, fazendo lindas poses. Depois, irão procurar um espaço e farão com o seu corpo a mesma pose que fizeram com o corpo do seu companheiro; estes, ao sinal do mestre, abrirão os olhos e irão descobrir quem os "modelou". A seguir, trocam-se os círculos.

 

CAÇA-PALAVRAS

Jogam duas equipes. O mestre dará a cada equipe um papel que contém um quadro com várias letras. Algumas dessas letras, juntadas horizontalmente ou verticalmente, formarão as palavras que estão em cima desse quadro. A equipe que encontrar todas as palavras primeiro, vence a prova.

 

OBJETO ESCONDIDO

Jogam todos os participantes. Todos saem da sala, enquanto o mestre escolhe um objeto e o esconde. Quando o mestre chamar os jogadores, eles deverão fazer perguntas, como "Pra que serve?", "É grande ou pequeno?", "É pesado ou leve?"... Os jogadores irão procurar esse objeto. Quem acertar, será o novo mestre e fará o mesmo.

 

 

QUEM ESTÁ DIFERENTE

Os jogadores formam um semi-círculo e um participante destacado ficará na frente, com os olhos vendados. Os integrantes da roda permanecem na mesma posição menos uma que toma posição diferente. O jogador destacado no meio da roda tira o lenço dos olhos e procura encontrar o que está diferente. Acertando, escolhe outro para substituí-lo. Errando, o participante diferente se apresente e a brincadeira recomeça.

 

MENSAGEIRO

Jogam duas equipes, organizadas em semi-círculos fronteiros. Entre elas fica o mestre que dá ao último jogador de cada grupo lápis e papel. Para começar o mestre segreda a mesma mensagem ao primeiro de cada equipe. Ao seu sinal, tal recado vai sendo cochichado de um em um de cada partido até o último. Este ao recebê-lo transcreve-o para a folha de papel que corre a levar ao orientador. Ninguém pode repetir a frase ao vizinho depois de já lhe houver segredado uma vez. As mensagens serão conferidas em voz alta pelo mestre somente no término da partida. A vitória é do partido que primeiro entregar a mensagem ao mestre.

 

O QUE É O QUE É

Pesquisar na internet vários "O que é o que é", ou desafios, e aplicar no grupo.

 

TRUQUES DE MÁGICA

Pesquisar na internet vários truques de mágica e aplicar no grupo. Depois, ensinar os truques para que possam fazer em casa.

 

FORMAR PALAVRAS

Jogam duas equipes e um escrivão para cada equipe. O mestre dá um papel com várias letras embaralhadas (as mesmas) para cada equipe. Os escrivães, guiados pelos colegas de equipe, terão que escrever o maior número possível de palavras formadas através das letras impostas. Quem formar mais palavras em 3 minutos, vence.

 

DICIONÁRIO

Jogam várias equipes. Cada equipe receberá 3 placas (A, B e C). Em cada rodada, o mestre escreverá no quadro uma palavra que ninguém conhece e dará três definições: uma correta e duas erradas. No JÁ, todas as equipes levantam suas placas ao mesmo tempo. As equipes com mais acertos, vence a prova.

 

.

 

FORCA CORPORAL

O mestre decide que palavra ele fará. Dentre os participantes, o mestre escolhe o número de alunos assim como o número de letras que contém a palavra escolhida. Ele também deverá escolher outro jogador, que ficará fora da sala. Enquanto esse participante está fora da sala, o mestre escreve uma palavra no quadro em letras bem destacadas e, na frente de cada letra, coloca um de seus selecionados. Depois de tudo pronto, o jogador retorna à sala e vai para o fundo dela. Ele irá dizendo as letras que acha que tem naquela palavra e, conforme for acertando, o mestre irá mandar os alunos saírem da frente das letras que ele acertou. E assim o jogo prossegue até ele acertar a palavra (fazendo com que todos os participantes saiam da frente do quadro). Assim, ele passará a ser o novo mestre e escolherá outra palavra com outros selecionados e assim por diante...

 

que for mais aplaudido no final.

 

QUE ANIMAL EU SOU?

O mestre deve escolher um animal e escrever o nome dele num papel, que ficará na sua mão. Cada participante poderá fazer uma pergunta de cada vez ao mestre para descobrir que animal ele é. Ex.: "Você nada? Você voa? Você viva na terra"... Quando todos já tiverem perguntado, eles voltam a fazer novas perguntas, na mesma ordem. Quem acertar o animal será o novo mestre.

 

VOCÊ CONHECE O JUCA?

Os participantes (sentados) formam uma roda. O mestre inicia a brincadeira, perguntando ao jogador que está do seu lado direito: "Você conhece o Juca?" (fazendo um gesto corporal) Este responde "Não" e imediatamente faz a mesma pergunta para o seu vizinho (com o gesto corporal que viu e um novo). O objetivo é repetir os gestos corporais e acrescentar novos, sem esquecer. A brincadeira acaba quando todos já tiverem participado.

 

 

DETETIVE

As pessoas ficam em círculo, observando umas às outras. Sorteiam-se pequenos pedaços de papel com as seguintes inscrições: um com a letra "A" que identifica o papel de assassino; um com a letra "D" que identifica o papel de detetive e os demais com a letra "V" que indica o papel de vítima. O assassino deve piscar para as pessoas que ele acha que receberam o papel de vítima. Estas, após receberem a piscadela, disfarçam e anunciam que morreram "Morri!". O detetive deve ficar atento a todos para descobrir o assassino (e o assassino deve ficar atento para identificar o detetive e evitar que este "veja" seus crimes). Se descobrir o assassino (receber uma piscadela, ver uma piscadela), o detetive imediatamente determina: "Preso em nome da lei!". O detetive ganha a rodada e redistribuem-se os papéis. Se o detetive errar (viu o que pensou ser uma piscadela, mas não era – o assassino ganha). O assassino também ganha se matar todas as vítimas"

 

QUE ANIMAL EU SOU?

Os participantes formam um círculo. O mestre chama um voluntário e coloca-lhe nas costas um letreiro. Esta pessoa não pode saber o nome que está escrito. A um sinal do animador, o voluntário percorre o interior do círculo fazendo perguntas às demais pessoas, para identificar seu animal. Seus companheiros podem responder apenas com um sim ou um não. Se conseguir adivinhar, volta a integrar o círculo e escolhe um novo voluntário passa a repetir a experiência, com outro letreiro.

 

ESPELHO

Brincam duas equipes. Um jogador estará de frente para o outro, ou seja, cada jogador terá uma pessoa com quem ficará cara a cara. A equipe 1 começa. Cada participante deverá fazer gestos e movimentos para o rival que está na sua frente. Este, tem que imitar os seus movimentos. Depois, é a equipe 2 que fará a mesma coisa. Ambas as equipes terão um minuto para fazer.

 

MÍMICA

Uma pessoa é escolhida para fazer a mímica de qualquer coisa (PESSOA DO GRUPO, FILME, AÇÃO, MÚSICA, MINHA SOGRA É, NOVELA, ANIMAL...) Quem avinhar a mímica, é o próximo a fazer.

 

CORAL

O mestre deverá ensaiar uma música com sua equipe, que cantará com platéia assistindo.

 

OBJETO ESCONDIDO

Jogam todos os participantes. Todos saem da sala, enquanto o mestre escolhe um objeto e o esconde. Quando o mestre chamar os jogadores, eles deverão fazer perguntas, como "Pra que serve?", "É grande ou pequeno?", "É pesado ou leve?"... Os jogadores irão procurar esse objeto. Quem acertar, será o novo mestre e fará o mesmo.

 

O IMPERADOR

Os jogadores, sentados, formarão um círculo amplo, havendo um fora que ocupa o centro quando for chamado. Depois de escolhido um que será o “imperador”, chama-se o de fora para começar o jogo. Todos iniciam fingindo coçar o ombro esquerdo com a mão direita. O “imperador” deve ir, a cada momento, mudando o gesto e todos os outros passam a imitá-lo na nova atitude sem deixar perceber quem é ele. O que está no centro procura descobrir quem é o imperador, em três tentativas. Se errar, ele volta e um novo imperador é escolhido. Ganha se adivinhar e escolhe outro para recomeçar o jogo.

 

QUEM ESTÁ DIFERENTE

Os jogadores formam um semi-círculo e um participante destacado ficará na frente, com os olhos vendados. Os integrantes da roda permanecem na mesma posição menos uma que toma posição diferente. O jogador destacado no meio da roda tira o lenço dos olhos e procura encontrar o que está diferente. Acertando, escolhe outro para substituí-lo. Errando, o participante diferente se apresente e a brincadeira recomeça.

 

MENSAGEIRO

Jogam duas equipes, organizadas em semi-círculos fronteiros. Entre elas fica o mestre que dá ao último jogador de cada grupo lápis e papel. Para começar o mestre segreda a mesma mensagem ao primeiro de cada equipe. Ao seu sinal, tal recado vai sendo cochichado de um em um de cada partido até o último. Este ao recebê-lo transcreve-o para a folha de papel que corre a levar ao orientador. Ninguém pode repetir a frase ao vizinho depois de já lhe houver segredado uma vez. As mensagens serão conferidas em voz alta pelo mestre somente no término da partida. A vitória é do partido que primeiro entregar a mensagem ao mestre.

 

DANÇA DO CANUDO

Jogam uma dupla de cada equipe. Uma música será executada e os pares deverão manter o papel sem cair no chão, segurando somente com a sucção do canudo que estará em suas bocas. Quem deixar cair, dá o ponto para o adversário.

 

TIGELA

Jogam duas equipes e dois líderes. Cada líder deverá ficar a 2 metros de sua equipe. Ao lado de cada líder, deverá haver uma tigela em cima de uma mesa. Ao sinal do mestre, as equipes começarão a jogar bolinhas de papel para o líder, que deverá pegar e colocá-las na tigela. Não vale pegar as bolinhas quem caírem no chão, tem que pegar quando elas estiverem no ar. Em 1 minuto, o líder que conseguir pegar mais bolinhas, dá vitória à sua equipe.

 

BARRA-MANTEIGA

Jogam duas equipes. Cada equipe tem seu campo. Os campos são separados por um espaço vazio de aproximadamente 8m. Alternadamente, os jogadores vão até o lado adversário. Todos devem estar com as palmas das mãos viradas para cima. O jogador bate com a palma de sua mão numa das mãos e corre para o seu lado. Quem receber o toque, imediatamente corre atrás e tenta pegar o adversário, se conseguir, este passa a ser da equipe que o apanhou, e o jogador que o pegou faz a mesma coisa no grupo contrário. A equipe que conseguir agarrar mais do outro grupo é a vencedora.

 

ESTOURA-BEXIGA

Jogam duas equipes. Os participantes de cada equipe deverão ficar em fila, cada um deverá ter uma bexiga cheia. A 10 metros de cada fila, haverá um ajudante, que estará sentado. Ao sinal, o primeiro de cada coluna deve correr segurando o balão até a cadeira e estourar o balão sentando em cima do respectivo ajudante. Depois, volta para a sua coluna, dando a vez para o próximo participante que repetirá a ação e assim por diante até estourar todos os balões. A equipe que completar a tarefa primeiro ganha.

 

BALEADO

É como um pega-pega, mas com bola. Só na primeira vez, o mestre deverá jogar a bola para o alto e citar o nome de alguém, que deverá pegar a bola e balear um corredor, dizendo: "baleei fulano". Quem for baleado deverá pegar a bola e balear mais um, que deverá fazer o mesmo.

 

DESAMARRAR NÓS

Jogam um participante de cada equipe. Cada um recebe uma corda (ou cordão) com um mesmo número de nós. Ganha quem desatar todos os nós primeiro

 

Dinâmica do "O que você parece pra mim..."

 

Esta dinâmica pode ser empregada de duas maneiras, como interação do grupo com objetivos de apontar falhas, exautar qualidades, melhorando a socilização de um determinado grupo.

 

 

Material: papel cartão, canetas hidrocor e fita crepe.

 

Desenvolvimento: Cola-se um cartão nas costas de cada participante com uma fita crepe. Cada participante deve ficar com uma caneta hidrocor. Ao sinal, os participantes devem escrever no cartão de cada integrante o que for determinado pelo coordenador da dinâmica (em forma de uma palavra apenas), exemplos:

 

1) Qualidade que você destaca nesta pessoa;

2) Defeito ou sentimento que deve ser trabalhado pela pessoa;

3) Nota que cada um daria para determinada característica ou objetivo necessário a atingir nesta dinâmica.

 

 

 

Dinâmica do Desafio

 

Material: Caixa de bombom enrolada para presente

Procedimento: colocar uma música animada para tocar e vai passando no círculo uma caixa(no tamanho de uma caixa de sapato, explica-se para os participas antes que é apenas uma brincadeira e que dentro da caixa tem uma ordem a ser feita por quem ficar ccom ela quando a música parar. A pessoa que vai dar o comando deve estar de costas para não ver quem está a caixa ao parar a música, daí o coordenador faz um pequeno suspense, com perguntas do tipo: preparado? você vai ter que pagar o mico viu, seja lá qual for a ordem você vai ter que obedecer, quer abrir? ou vamos continuar? Inicia a música novamente e passa novamente a caixa se aquele topar em não abrir, podendo-se fazer isso por algumas vezes e pela última vez avisa que agora é para valer quem pegar agora vai ter que abrir, Ok? Esta é a última vez, e quando o felizardo o fizer terá a feliz surpresa e encontrará um chocolate sonho de valsa com a ordem 'coma o chcolate'.

Objetivos:essa dinâmica serve para nós percebermos o quanto temos medo de desafios, pois observamos como as pessoas têm pressa de passar a caixa para o outro, mas que devemos ter coragem e enfrentar os desafios da vida, pois por mais dificil que seja o desafio, no final podemos ter uma feliz surpresa/vitória.

 

Contribuição enviada pela usuária: Elizabete/Fortaleza - CE

 

Dinâmica "Tiro pela Culatra"

 

 

Essa dinâmica é desenvolvida exatamente como a número 3 acima. A única diferença é que ao invés de se dizer uma parte do corpo do colga da direita, deve dizer uma tarefa para que esse colega execute.

 

Quando todos tiverem escolhido a tarefa, Coordenador dá um novo comando:

_Cada pessoa deverá praticar a tarefa, exatamente como foi escolhida para o colega da direita.

 

É uma dinâmica bem engraçada e é muito utilizada como "quebra gelo ".

 

Autor: Desconhecido

 

Dinâmica do Sociograma

 

Esta dinâmica é, geralmente, desenvolvida a fim de se descobrir os líderes positivos e negativos de um determinado grupo, pessoas afins, pessoas em que cada um confia. É muito utilizada por equipes esportivas e outros grupos.

 

Material: papel, lápis ou caneta.

 

Desenvolvimento: Distribui-se um pedaço de papel e caneta para cada componente do grupo. Cada um deve responder as seguintes perguntas com um tempo de no máximo 20-60 segundos, cronometrados pelo Coordenador da dinâmica. Exemplo de Perguntas:

 

1) Se você fosse para uma ilha deserta e tivesse que estar lá por muito tempo, quem você levaria dentro desse grupo?

2) Se você fosse montar uma festa e tivesse que escolher uma (ou quantas desejarem) pessoa desse grupo quem você escoheria?

3) Se você fosse sorteado em um concurso para uma grande viagem e só pudesse levar 3 pessoas dentro desse grupo, quem você levaria?

4) Se você fosse montar um time e tivesse que eliminar (tantas pessoas) quem você eliminaria deste grupo?

 

Obs: As perguntas podem ser elaboradas com o fim específico, mas lembrando que as perguntas não devem ser diretas para o fim proposto, mas em situações comparativas.

 

De posse dos resultados, conta-se os pontos de cada participante e interpreta-se os dados para utilização de estratégias dentro de empresas e equipes esportivas.

 

Autor: Desconhecido

 

Dinâmica do Emboladão

 

Esta dinâmica propõe uma maior interação entre os participantes e proporciona observar-se a capacidade de improviso e socialização, dinamismo, paciência e liderança dos integrantes do grupo.

 

 

Faz-se um círculo de mãos dadas com todos os participantes da dinâmica.

O Coordenador deve pedir que cada um grave exatamente a pessoa em que vai dar a mão direita e a mão esquerda.

Em seguida pede que todos larguem as mãos e caminhem aleatoriamente, passando uns pelos outros olhando nos olhos (para que se despreocupem com a posição original em que se encontravam). Ao sinal, o Coordenador pede que todos se abracem no centro do círculo" bem apertadinhos". Então, pede que todos se mantenham nesta posição como estátuas, e em seguida dêem as mãos para as respectivas pessoas que estavam de mãos dadas anteriormente (sem sair do lugar).

Então pedem para que todos, juntos, tentem abrir a roda, de maneira que valha como regras: Pular, passar por baixo, girar e saltar.

 

O efeito é que todos, juntos, vão tentar fazer o melhor para que esta roda fique totalmente aberta.

 

 

Ao final, pode ser que alguém fique de costas, o que não é uma contra-regra. O Coordenador parabeniza a todos se conseguirem abrir a roda totalmente!

 

Obs: Pode ser feito também na água.

 

Autor: Desconhecido

 

Dinâmica do Sentar-se no Colo

 

Esta dinâmica propõe um "quebra gelo" entre os participantes:

 

O coordenador propõe que o grupo fique de pé, de ombro-á-ombro, em círculo. Em seguida pede que todos façam 1/4 de giro para um determinado lado ficando em uma fila indiana (assim: xxxxxxxxxxxx), embora em círculo. Ao sinal o Coordenador pede que todos se assentem no colo um do outro e depois repitam para o outro lado. É bem divertido, causando muitos risos !

 

Autor: Desconhecido

 

Dinâmica do "João Bobo"

 

Esta dinâmica propõe um "quebra gelo" entre os participantes e também pode ser observado o nível de confiança que os os participantes têm um no outro:

 

Formam-se pequenos grupos de 8-10 pessoas. Todos devem estar bem próximos, de ombro-á-ombro, em um círculo. Escolhem uma pessoa para ir ao centro. Esta pessoa deve fechar os olhos (com uma venda ou simplesmente fechar), deve ficar com o corpo totalmente rígido, como se tivesse hipnotizada. As mãos ao longo do corpo tocando as coxas lateralmente, pés pra frente , tronco reto. Todo o corpo fazendo uma linha reta com a cabeça.

Ao sinal, o participante do centro deve soltar seu corpo completamente, de maneira que confie nos outros participantes. Estes, porém devem com as palmas das mãos empurrar o "joão bobo" de volta para o centro. Como o corpo vai estar reto e tenso sempre perderá o equilíbrio e penderá para um lado. O movimento é repetido por alguns segundos e todos devem participar ao centro.

 

Obs: Pode ser feito também na água.

 

Autor: Desconhecido

 

 

Dinâmica do Nome

 

Esta dinâmica propõe um "quebra gelo" entre os participantes. Ela pode ser proposta no primeiro dia em que um grupo se encontra. É ótima para gravação dos nomes de cada um.

 

Em círculo, assentados ou de pé, os participantes vão um a um ao centro da roda (ou no próprio lugar) falam seu nome completo, juntamente com um gesto qualquer . Em seguida todos devem dizer o nome da pessoa e repetir o gesto feito por ela.

 

Variação: Essa dinãmica pode ser feita apenas com o primeiro nome e o gesto da pesso, sendo que todos devem repetir em somatória, ou seja, o primeiro diz seu nome, com seu gesto e o segundo diz o nome do anterior e gesto dele e seu nome e seu gesto... e assim por diante. Geralmente feito com grupos pequenos, para facilitar a memorização. Mas poderá ser estipulado um número máximo acumulativo, por exemplo após o 8º deve começar um outro ciclo de 1-8 pessoas.

 

Autor: Desconhecido

 

 

Dinâmica do "Escravos de "

 

Esta dinâmica vem de uma brincadeira popular do mesmo nome, mas que nessa atividade tem o objetivo de "quebra gelo" podendo ser observado a atenção e concentração dos participantes.

 

Em círculo, cada participante fica com um toquinho (ou qualquer objeto rígido).

Primeiro o Coordenador deve ter certeza de que todos sabem a letra da música que deve ser:

 

Os escravos de jogavam cachangá;

os escravos de jogavam cachangá;

Tira, põe, deixa o pereira ficar;

Guerreiros com guerreiros fazem zigue, zigue (Refrão que repete duas vezes)

 

1º MODO NORMAL:

 

Os escravos de jogavam cachangá (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA);

os escravos de jogavam cachangá (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA);

Tira (LEVANTA O TOQUINHO), põe (PÕE NA SUA FRENTE NA MESA), deixa o pereira ficar (APONTA PARA O TOQUINHO NA FRENTE E BALANÇA O DEDO);

Guerreiros com guerreiros fazem zigue (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA), zigue (VOLTA SEU TOQUINHO DA DIREITA PARA O COLEGA DA ESQUERDA), (VOLTA SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA) (Refrão que repete duas vezes).

 

MODO:

Faz a mesma sequência acima só para a esquerda

 

MODO:

Faz a mesma sequência acima sem cantar em voz alta, mas canta-se em memória.

 

MODO:

Faz a mesma sequência acima em pé executando com um pé.

 

MODO:

Faz a mesma sequência acima com 2 toquinhos, um para cada lado.

 

Dinâmica da "Escultura"

 

Esta dinâmica estimula a expressão corporal e criatividade.

2 x 2 ou 3 x 3, os grupos devem fazer a seguinte tarefa:

 

Um participante trabalha com escultor enquanto os outro (s) ficam estátua (parados). O escultor deve usar a criatividade de acordo com o objetivo esperado pelo Coordenador, ou seja, pode buscar:

 

-estátua mais engraçada

-estátua mais criativa

-estátua mais assustadora

-estátua mais bonita, etc.

 

Quando o escultor acabar (estipulado o prazo para que todos finalizem), seu trabalho vai ser julgado juntamente com os outros grupos. Pode haver premiação ou apenas palmas.

 

Autor: Desconhecido

 

 

Dinâmica da "Sensibilidade"

 

Dois círculos com números iguais de participantes, um dentro e outro fora. O grupo de dentro vira para fora e o de fora vira para dentro. Todos devem dar as mãos, sentí-las, tocá-las bem, estudá-las. Depois, todos do grupo interno devem fechar os olhos e caminhar dentro do círculo externo. Ao sinal, o Coordenador pede que façam novo círculo voltado para fora, dentro do respectivo círculo. Ainda com os olhos fechados, proibido abrí-los, vão tocando de mão em mão para descobrir quem lhe deu a mão anteriormente. O Grupo de fora é quem deve movimentar-se. Caso ele encontre sua mão correta deve dizer _Esta ! Se for verdade, a dupla sai e se for mentira, volta a fechar os olhos e tenta novamente.

 

Obs: Essa dinâmica pode ser feita com outras partes do corpo, ex: Pés, orelha, olhos, joelhos, etc. Tem o objetivo de melhorar a sensibilidade, concentração e socialização do grupo.

 

Autor: Desconhecido

 

Dinâmica do"Mestre"

 

Em círculo os participantes devem escolher uma pessoa para ser o advinhador. Este deve sair do local. Em seguida os outros devem escolher um mestre para encabeçar os movimentos/ mímicas. Tudo que o mestre fizer ou disser, todos devem imitar . O advinhador tem 2 chances para saber quem é o mestre. Se errar volta e se acertar o mestre vai em seu lugar.

 

Esta dinâmica busca a criatividade, socialização, desinibição e a coordenação.

 

14. Dinâmica do "Rolo de Barbante"

 

Em círculo os participantes devem se assentar. O Coordenador deve adquirir anteriormente um rolo grande de barbante. E o primeiro participante deve, segurando a ponta do barbante, jogar o rolo para alguém (o coordenador estipula antes ex: que gosta mais, que gostaria de conhecer mais, que admira, que gostaria de lhe dizer algo, que tem determinada qualidade, etc.) que ele queira e justificar o porquê ! A pessoa agarra o rolo, segura o barbante e joga para a próxima. Ao final torna-se uma "teia" grande.

 

Essa dinâmica pode ser feita com diversos objetivos e pode ser utilizada também em festas e eventos como o Natal e festas de fim de ano. Ex: cada pessoa que enviar o barbante falar um agradecimento e desejar feliz festas. Pode ser utilizado também o mesmo formato da Dinâmica do Presente .

 

Dinâmica do "Substantivo"

 

Em círculo os participantes devem estar de posse de um pedaço de papel e caneta. Cada um deve escrever um substantivo ou adjetivo ou qualquer estipulado pelo Coordenador, sem permitir que os outros vejam. Em seguida deve-se passar o papel para a pessoa da direita para que este represente em forma de mímicas. Podendo representar uma palavra mais fácil, dividí-la e ajuntar com outra para explicar a real palavra escrita pelo participante, mas é proibido soltar qualquer tipo de som.

 

Autor: Desconhecido

 

Dinâmica da"Verdade ou Consequência? "

 

Em círculo os participantes devem estar de posse de uma garrafa que deve ficar ao centro. Ao sinal do Coordenador, alguém gira a garrafa e para quem o bico da garrafa apontar é perguntado: _Verdade ou Consequência? Caso ele escolha verdade, a pessoa onde o fundo da garrafa apontou deve perguntar algo e ele obrigatoriamente deve responder a verdade. Se ele responder consequência deve pagar uma prenda (executar uma tarefa) estipulada pela pessoa que o fundo da garrafa apontou. A que respondeu gira a garrafa.

 

Autor: Desconhecido

 

Dinâmica da "Qualidade"

 

Cada um anota em um pequeno pedaço de papel a qualidade que acha importante em uma pessoa. Em seguida todos colocam os papéis no chão, virados para baixo, ao centro da roda. Ao sinal, todos devem pegar um papel e em ordem devem apontar rapidamente a pessoa que tem esta qualidade, justificando.

 

Autor: Desconhecido